Visita do PR ao Vaticano

Comunicado:
A Associação Ateísta Portuguesa (AAP) ficou perplexa com a foto de Sua Excelência, o Presidente da República Portuguesa, a beijar a mão do Papa romano, na visita de Estado.
O cidadão católico Marcelo Rebelo de Sousa pode manifestar perante o Papa a reverência que achar adequada à sua fé pessoal. O que não pode fazer, na qualidade de Presidente da República, é beijar a mão de um clérigo, inclinar-se subservientemente, deixar-se fotografar num ato humilhante para a República laica, que representa, e portar-se como se a Constituição da República Portuguesa, que jurou, permitisse a vassalagem à última teocracia da Europa.
Portugal não é protetorado do Vaticano e o Presidente da República sacristão. Ao bajular o Papa, não cumpriu uma visita de Estado, levou a cabo uma promessa pia, denegriu a imagem de Portugal e traiu a laicidade.
A AAP lamenta que o presidente de todos os portugueses se pretenda reduzir a um mero presidente dos católicos portugueses, excluindo os que, mesmo sendo católicos, honram o carácter laico da Constituição.
 
Carlos Esperança,
Presidente da Direção.

 

AAP presente em debate na Fundação Calouste Gulbenkian

Em representação da AAP – Associação Ateísta Portuguesa, o seu Vice-Presidente, Ludwig Krippahl, estará presente no debate Violência religiosa e violência com nome de religião, organizado pelo Observatório da Religião no Espaço Público (POLICREDOS), do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. A conversa terá lugar no Auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian no próximo dia 09 de Março, pelas 18:00h.

[clique na imagem para ampliar]

Debate na FCG